14 junho, 2011

Quem estuda tem que ter muita coragem...

Converso frequentemente com os alunos e escuto muito acerca dos seus anseios e dúvidas e - pasmem - até um pouco de desânimo frente aos esforços requeridos pela Universidade e à loucura imposta pelo mercado de trabalho.

Percebo a existência de um verdadeiro desencorajamento geral, construído a partir de percepções ou frases que os alunos escutam até, e principalmente, de gente da família - que conseguem desestimular os próprios filhos!!! - , como estas por exemplo:

"Olhe alí o seu Fulano de Tal... analfabeto e ganha bem que só com aquela oficina e ainda é chefe... tu tens faculdade e ganha menos de um salário como estagiário e ainda aguenta desaforo..."

"O teu chefe nem tem tanto estudo... é ignorante no assunto e ganha muito mais que você..."

" A teoria da faculdade não serve para nada... olha quantos advogados são taxistas ..."

Esse tipo de comentário dificulta a vida e o aprendizado do aluno e até a do professor que tem a tarefa - eu diria a missão - de encorajar e motivar os alunos apesar de tudo isso! É "remar contra a maré" de pessoas que parecem ter prazer em tentar desencorajar quem tem coragem! Seria preciso ser mais que professor, talvez um terapeuta...

De fato, o conhecimento científico não é o único do mundo e o próprio por si, caracteriza-se por saber-se não ser o dono da verdade, ainda que seja passível de prova. Há também, de forma geral, o conhecimento popular, o religioso e o filosófico. É inegável a necessidade das funções dos taxistas ou dos mecânicos na sociedade, ainda que não tenham boa leitura... se eles apresentam sucesso em suas profissões sem ajuda do conhecimento científico, eles certamente aprenderam a ler o mundo, o que é bem mais difícil que ler somente as letras e a primeira leitura é a verdadeira alfabetização, aquela que não é mensuradas nas estatísticas governamentais. Além disso, seria preciso também ser bom que nem eles naquelas atividades e nem todos seríamos...

Quanto às frases, eu, que acredito nos estudos, costumo consolar os alunos que se esforçam que nós tivemos o privilégio de ter acesso ao conhecimento científico, além dos demais tipos e, caso fosse do interesse ou do gosto, poderíamos de igual modo tentar ter sucesso em uma oficina, na qual poderíamos ser bons como o Fulano ou não. Não sendo tão bom quanto ele, teríamos ainda outras opções intelectuais que ele nem sempre ele teve acesso.

Em relação aos "chefes ignorantes", afirmo que eles são temporais... e se não o são, estão lastreados em critérios de politicagem ou de atos ilícitos que não devem interessar a quem tem a ética como princípio, esquecida por muitos que preferem lembrar da velha brasileira "Lei de Gérson".

Quanto à teoria, poderíamos afirmar que existem muitas pessoas ingratas com o conhecimento científico. Quando ganham dinheiro com conhecimentos diferentes daqueles que aprenderam na faculdade, elas não percebem que, muito vezes, grande parte da facilidade que tiveram em aprender esses outros conhecimentos ou "as coisas práticas" - por mais diferentes que possam parecer, por menos similaridade que tenham com a teoria - certamente vem da capacidade que a abstração teórica nos propiciou um dia e nós nunca demos o devido valor.


É bom lembrar que as "coisas" práticas são as mesmas "téoricas". Trata-se do mesmo objeto, analisado a partir de óticas diferentes, as quais, quanto mais pudermos ter, melhor.

1 comentários:

Everton Machado disse...

Professora, realmente é preciso CORAGEM...
CORAGEM pra encarar todos os obstáculos, percausos, stress, indignações, enfim CORAGEM para entrar com todo o gás no mercado de trabalho e desempenhar nosso papel enquanto profissionais.
Infelizmente, na maioria das empresas o relacionamento pessoal positivo chefe e colaborador não existe.
Isso é lamentável, até porque a MOTIVAÇÃO também é responsável direto da produtividade e qualidade de nosso trabalho.
Quanto ao "mal" relacionamento chefe-colaborador felizmente não convivo com isso, mas a "pressão" é inevitável, até porque devemos ser cobrados mesmo para aquilo que fomos contratados para fazer.

Enfim, na vida é preciso CORAGEM... pra TUDO...
Porque os destemidos podem até errar, mas não deixaram de tentar...
Recordo-me de Henry Ford ao dizer...

"Nem todos que tentaram conseguiram, mas todos que conseguiram foi porque tentaram..."

Um abraço!

Assuntos Pesquisados

Previdência Complementar (60) Educação (36) Consumidor (27) Longevidade (27) Previdência Social (27) noticias_previdenciasocial (27) Orientação para Consumidores de Produtos Previdenciários ou Serviços de Saúde (23) EAPC (17) Educação Financeira (17) noticias_efpc (16) Mercado Segurador (15) Opinião (14) Projeto de Pesquisa (12) Investimentos (11) Tecnologia (11) noticias_saude (11) Metodologia Científica e Técnicas de Pesquisa (10) Projeto de Monografia em Atuária (10) Sistemas de Saúde (10) dicas (9) noticias_atuario (9) Mercado de Trabalho (8) Remuneração do Atuário (8) Arquitetura de Planos de Benefícios Previdenciários (7) Orientação de Monografias (7) Previdência Social de Outros Países (7) noticias_economia (7) Previdência Complementar do Servidor Público (6) Saúde (6) Força da Natureza (5) Artigos relacionados à Atuária (4) FundamentosAtuaria_TextosAdic (4) Funpresp (4) Notícias sobre Investimentos (4) Premissas Atuariais (4) Metodologia Cientifica (3) O Atuário (3) Orientação para Consumidores de Produtos Previdenciários (3) Pesquisa (3) fator previdenciário (3) linguagem (3) matematica atuarial (3) Atuário (2) Cursos de Ciências Atuariais - notícias (2) Equilíbrio Emocional na Aposentadoria (2) Modelos de Sobrevivencia e Tecnicas de Graduacao (2) Previdencia Social e Complementar (2) Previdência Complementar Fechada (2) Softwares (2) Tipos de Conhecimento (2) noticias_assistenciasocial (2) ALM (1) Acordos Previdenciários (1) Bom humor (1) Gestão de Riscos (1) IBA (1) Legislaçao Previdenciária (1) Migração de Planos de Benefícios (1) Orientação para Consumidores de Serviços de Saúde (1) Premiações para Alunos de Atuária (1) Previdência Complementar Aberta (1) Previdência Social e Complementar - Apoio (1) Regulação da Profissão de Atuário (1) Resseguros (1) Saúde Pública (1) Visão crítica da Previdência (1) auxílio-doença (1)